Reflexões, pensamentos, sentimentos, rascunhos sinceros..

"Sorriso, diz-me aqui o dicionário, é o acto de sorrir. E sorrir é rir sem fazer ruído e executando contracção muscular da boca e dos olhos. O sorriso, meus amigos, é muito mais do que estas pobres definições, e eu pasmo ao imaginar o autor do dicionário no acto de escrever o seu verbete, assim a frio, como se nunca tivesse sorrido na vida. Por aqui se vê até que ponto o que as pessoas fazem pode diferir do que dizem. Caio em completo devaneio e ponho-me a sonhar um dicionário que desse precisamente, exactamente, o sentido das palavras e transformasse em fio-de-prumo a rede em que, na prática de todos os dias, elas nos envolvem. Não há dois sorrisos iguais. Temos o sorriso de troça, o sorriso superior e o seu contrário humilde, o de ternura, o de cepticismo, o amargo e o irónico, o sorriso de esperança, o de condescendência, o deslumbrado, o de embaraço, e (por que não?) o de quem morre. E há muitos mais. Mas nenhum deles é o Sorriso. O Sorriso (este, com maiúsculas) vem sempre de longe. É a manifestação de uma sabedoria profunda, não tem nada que ver com as contracções musculares e não cabe numa definição de dicionário. Principia por um leve mover de rosto, às vezes hesitante, por um frémito interior que nasce nas mais secretas camadas do ser. Se move músculos é porque não tem outra maneira de exprimir-se. Mas não terá? Não conhecemos nós sorrisos que são rápidos clarões, como esse brilho súbito e inexplicável que soltam os peixes nas águas fundas? Quando a luz do sol passa sobre os campos ao sabor do vento e da nuvem, que foi que na terra se moveu? E contudo era um sorriso."

" É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada." 


                          BrunoEduardo


0

feengelberg:

As pessoas sempre falam: Cuidado por onde anda. Mas se eu tomar muito cuidado eu não vou esbarrar com o amor da minha vida. É um caso a se pensar. Fernando Engelberg

(via engelberg)


5766

feengelberg:

Às vezes eu fico em dúvida se você existe mesmo, se não estou sonhando ou imaginando coisas, e quando vejo que tudo é real me sinto a pessoa mais feliz do mundo. Dá pra perceber né?! Fernando Engelberg ()

(via engelberg)


766

sorriaedisfarce:

Às vezes, é preciso fingir não saber o que se sabe. Blair Waldorf

(via estasoledad-cg-deactivated20111)


46261

meameemeodeie:

“Eu quero mesmo é que tudo exploda. E que seja luminosa, a explosão, que ecoe pelos quarteirões e faça tremer teus vidros, quebrar tuas janelas. Que perturbe teu sono e te faça ir pra rua pra ver o que aconteceu. Você não vai me encontrar lá. Eu não sou o piloto. Não sou o passageiro. Não sou o pedestre. Eu sou o acidente, e eu sou grave.”

(Source: viajarparadentro)


64

Solidão é ter muito o que dizer mas não ter com quem falar. "


— (via coffeandcigarettestoday)

(Source: veronicaheiss, via viajarparadentro)



35

Gosto da sensação de conforto. Gosto de ter certeza que coisas que me fazem bem são pra sempre. Sinto que minha paz vem depois de muita discussão. Admiro pessoas que se sentem encorajadas à cada tropeço. Sinto inveja de pessoas que não estão nem aí para as críticas. Sinto inveja porque, querendo ou não, evitando ou não, eu sempre tento, mas aquela “crítica” sempre continua batendo forte na minha consciência. Admiro aqueles que sabem bem como agir, que sabem como continuar seguindo seu caminho, mesmo com o sofrimento. Mas de certa forma, me admiro um pouco, por apesar de tudo, continuar suportando as dores dessa vida.

(Letícia Nogara)

(Source: leticianogara, via viajarparadentro)


135

“Minha paranóia de estar sozinha, minha paranóia de nao fazer as coisas certo, minha paranóia de perder as pessoas que eu nao tenho, minha paranóia de ficar pra traz, minha paranóia das coisas nao darem certo, minha paranóia pessoal, minha paranóia publica, minha pranóia tranquila, minha pranóia complicada, minha paranóia que machuca, minha paranóia comum, minha paranóia pensativa, minha pranóia apenas paranóia. Coisas que eu crio dentro de mim, coisas que se transformam com o pensamento, uma paranóia que eu mesma invento, coisas que nao existem e mesmo assim viram paranoico, febril, doentil, como se nao tivesse uma cura, como se fosse necessario se importar demais, como se fosse fraco deixar a vida, como se fosse possivel esperar sentada, como se fosse normal trocar o humor assim […] posso controlar tudo, menos minha paranóia, pois eu nao consigo nao me importar.”

(Source: cafe-e-poesias, via viajarparadentro)


23

Sinto mais do que demonstro. Sei mais do que aparento.

(via un-happylife-deactivated2011062)


8973


"Às vezes é difícil ver os limites que criamos. Até atravessá-los. É aí que confiamos em quem amamos para nos impulsionar. E nos dar algo para confiar. Então há os limites claramente demarcados, os que se ousar ultrapassar, talvez nunca ache o caminho de volta."


0


Página 16 de 30 « 14 15 16 17 18 19 »